31 de outubro de 2013

Arte



Não ia tocar no assunto - mais porque não ligo, do que para outra coisa -, mas não podia deixar de compartilhar:











E para fechar:







Boa noite!





Citação do Dia [#2]


"Busco-me e não me encontro. Pertenço a horas crisântemos, nítidas em alongamentos de jarros. Deus fez da minha alma uma coisa decorativa."

                                 
                                                                        - Fernando Pessoa 

30 de outubro de 2013

"Entre Aspas" de Em Chamas - Suzanne Collins






Dessa vez, as minhas frases, citações, passagens favoritas do livro Em Chamas de Suzanne Collins.

Estão em inglês, pois não estou com o livro fácil de pegar no momento.

Aviso: pode conter spoilers.



  • "Peeta, how come I never know when you're having a nightmare?” I say.

    “I don't know. I don't think I cry out or thrash around or anything. I just come to, paralyzed with terror,” he says.

    “You should wake me,” I say, thinking about how I can interrupt his sleep two or three times on a bad night. About how long it can take to calm me down.

    “It's not necessary. My nightmares are usually about losing you,” he says. “I'm okay once I realize you're here.”

  • “I'm going to wake Peeta," I say.
    "No, wait," says Finnick. "Let's do it together. Put our faces right in front of his."
    Well, there's so little opportunity for fun left in my life, I agree. We position ourselves on either side of Peeta, lean over until our faces are inches frim his nose, and give him a shake. "Peeta. Peeta, wake up," I say in a soft, singsong voice.
    His eyelids flutter open and then he jumps like we've stabbed him. "Aa!"
    Finnick and I fall back in the sand, laughing our heads off. Every time we try to stop, we look at Peeta's attempt to maintain a disdainful expression and it sets us off again.”  
     


  •  “I don't want you forgetting how different our circumstaces are. If you die, and I live, there's no life for me at all back in District Twelve. You're my whole life." Peeta says. "I would never be happy again. It's different for you. I'm not saying it wouldn't be hard. But there are other people who'd make your life worth living."

    "No one really needs me," he says, and there's no selfpity in his voice. It's true his family doesn't need him. They will mourn him, as will a handfull of friends. But they will get on.... I realise only one person will be damaged beyond repair if Peeta dies. Me.

    "I do," I say. "I need you.”   -
    Peeta e Katniss

  •  “So I only say, "So what should we do with our last few days?"

    "I just want to spend every possible minute of the rest of my life with you," Peeta replies.”   

  •  “But I have to confess, I'm glad you two had at least a few months of happiness together."
    I'm not glad," says Peeta. "I wish we had waited until the whole thing was done officially."
    This takes even Caesar aback. "Surely even a brief time is better than no time?"
    Maybe I'd think that, too, Caesar," says Peeta bitterly, "If it weren't for the baby.” 

  •  “Remember, girl on fire,” he says, “I'm still betting on you.”  - Cinna

  •  “By late afternoon I lie with my head in Peeta’s lap making a crown of flowers while he fiddles with my hair claiming he is practicing knots. After awhile his hands go still.
    “What?” I ask.
    “I wish I could freeze this moment, right here, right now, and live in it forever,” he says.
    Usually this sort of comment, the kind that hints his undying love for me, makes me feel guilty and awful. But I’m so relaxed and beyond worrying about a future I’ll never have, I just let the word slip out.
    “Okay,” I say.
    I can hear the smile in his voice. “Then you’ll allow it?”
    “I’ll allow it.”   

  •  “Sometimes things happen to people and they're not equipped to deal with them.”

  • “but it's not safe and I can feel him slipping away, so I just get out one more sentence. "Stay with me."
    As the tendrils of sleep syrup pull me down, I hear him whisper a word back but I don't catch it.”   

  • “Isn't it strange that I know you'd risk your life to save mine, but I don't even know what your favorite color is?”  


  •  “When Peeta holds out his arms, I walk straight into them. It's the first time since they announced the Quarter Quell that he's offered me any sort of affection. He's been more like a very demanding trainer, always pushing, always insisting Haymitch and I run faster, eat more, know our enemy better. Lovers? Forget about that. He abandoned any pretense of even being my friend. I wrap my arms tightly around his neck before he can order me to do push-ups or something. Instead he pulls me in close and buries his face in my hair. Warmth radiates from the spot where his lips just touch my neck, slowly spreading through the rest of me. It feels so good, so impossibly good, that I know I will not be the first to let go.
    And why should I?”   

  •  “Peeta and I sit on the damp sand, facing away from each other, my right shoulder and hip pressed against his.
    ...
    After a while I rest my head against his shoulder. Feel his hand caress my hair.
    "Katniss... If you die, and I live, there's no life for me at all back in District Twelve. You're my whole life", he says. "I would never be happy again."
    I start to object but he puts a finger to my lips. "It's different for you. I'm not sayin it wouldn't be hard. But there are other people who'd make your life worth living." ... "Your family needs you, Katniss", Peeta says.
    My family. My mother. My sister. And my pretend cousin Gale. But Peeta's intension is clear. That Gale really is my family, or will be one day, if I live. That I'll marry him. So Peeta's giving me his life and Gale at the same time. To let me know I shouldn't ever have doubts about it.
    Everithing. That's what Peeta wants me to take from him.
    ...
    "No one really needs me", he says, and there's no self-pity in his voice. It's true his family doesen't need him. They will mourn him, as will a handful of friends. But they will get on. Even Haymitch, with the help of a lot of white liquor, will get on. I realize only one person will be damaged beyond repair if Peeta dies. Me.
    "I do", I say. "I need you." He looks upset, takes a deep breath as if to begin a long argument, and that's no good, no good at all, because he'll start going on about Prim and my mother and everything and I'll just get confused. So before he can talk, I stop his lips with a kiss.
    I feel that thing again. The thing I only felt once before. In the cave last year, when I was trying to get Haymitch to send us food. I kissed Peeta about a thousand times during those Games and after. But there was only one kiss that made me feel something stir deep inside. Only one that made me want more. But my head wound started bleeding and he made me lie down.
    This time, there is nothing but us to interrupt us. And after a few attempts, Peeta gives up on talking. The sensation inside me grows warmer and spreads out from my chest, down through my body, out along my arms and legs, to the tips of my being. Instead of satisfying me, the kisses have the opposite effect, of making my need greater. I thought I was something of an expert on hunger, but this is an entirely new kind.”   

  •  “I like to watch his hands as he works, making a blank page bloom with strokes of ink, adding touches of color to our previously black and yellowish book. His face takes on a special look when he concentrates. His usual easy expression is replaced by something more intense and removed that suggests an entire world locked away inside him. I've seen flashes of this before: in the arena, or when he speaks to a crowd, or that time he shoved the Peacekeepers' guns away from me in District 11. I don't know quite what to make of it. I also become a little fixated on his eyelashes, which ordinarily you don't notice much because they're so blond. But up close, in the sunlight slanting in from the window, they're a light golden color and so long I don't see how they keep from getting all tangled up when he blinks.”

  •  “What did Finnick Odair want?” he asks.
    I turn and put my lips close to Peeta's and drop my eyelids in imitation of Finnick. “He offered me sugar and wanted to know all my secrets,” I say in my best seductive voice.
    Peeta laughs. “Ugh. Not really.”
    “Really,” I say. “I'll tell you more when my skin stops crawling.”   

  •  “Orange? Like Effie's hair?" I say.
    "A bit more muted," he says. "More like sunset.”   

  •  “Peeta rinses the pearl off in the water and hands it to me. “For you.” I hold it out on my palm and examine its iridescent surface in the sunlight. Yes, I will keep it. For the few remaining hours of my life I will keep it close. This last gift from Peeta. The only one I can really accept. Perhaps it will give me strength in the final moments.”

Bom, é isso que me lembro de ter pego até o momento.


29 de outubro de 2013

Trailer Final de Jogos Vorazes: Em Chamas


Mas antes, que tal lembrar dos anteriores?




   






E agora o final, que saiu nesta semana:





Eu estou com muita vontade de ver, só não sei quando, pois creio que não irei ir ao cinema - aja paciência para esperar! 

Cenas esperadas: claro que quero ver as de ação, a arena e tudo o que lá acontece. Também quero ver como irá se desenrolar com os inícios de protestos e todo o mais relacionado. Mas penso que estará lá - espero que não cortem demais. Mas uma coisa que quero muito ver são as cenas do Peeta com a Katniss, pois no livro me emocionaram muito e sempre que leio alguma frase dita pelos dois - principalmente pelo Peeta, já me comove! Não chego a chorar, mas me tocam bastante. 

Esses trailers me fizeram ter mais vontade de ver o filme que no primeiro da saga. Mais precisamente foi através do 2º que me chamou mais atenção. Agora é esperar que tenham feito bem a adaptação.

Aqui no Brasil estreará no dia 15 de Novembro nos cinemas.



28 de outubro de 2013

Estantes [#5]







Quente Como a Paixão - Chantelle Shaw - Opinião



Autora: Chantelle Shaw

Sinopse:


Rebekah Evans prometeu a si mesma que manteria as mãos longe do estonteante Dante Jarrell, o advogado que a contratou como chef particular. Mas uma noite ele descobre que por baixo daquele uniforme branco existe uma mulher com curvas maravilhosas! Contrariado quando Rebekah decide partir, ele antes a leva para a Toscana. Deixa claro, porém, que somente deseja um caso, não um compromisso. Enquanto vivem momentos tórridos, Rebekah começa, aos poucos, a conquistar o homem escondido dentro de uma armadura de cinismo. Contudo, uma gravidez imprevista talvez mude tudo…







Opinião:


3,5/4 estrelas

Primeiro livro que leio da Harlequin! Ou como é mais conhecido aqui no Brasil, o Romance de banca.
E tenho que dizer que gostei bastante. Não é nada demais a história, é daqueles romances doces com finais felizes, mas é o que ando precisando nesse momento e ele cumpriu seu papel.
Leitura fácil e gostei dos personagens também. O Dante mesmo sendo um mulherengo, sempre foi sincero com suas amantes e também tinha um passado difícil como a Rebekah, que sofreu bastante nas mãos de outro homem.
Este tipo de livro é bom para aqueles momentos em que não se consegue ler nada ou aqueles momentos em que se precisa de algo mais doce e fácil de ler, para distrair, mas não espere nada de outro mundo, pois esse não é do tipo.






Início da Leitura: 15/10/2013
Término: 28/10/2013


27 de outubro de 2013

Música [#2]


Uma das minhas músicas favoritas (entre muitas!):





"Spanish Sahara" - Foals


Letra:


So I walked into the haze
And a million dirty ways
Now I see you lying there
Like a lilo losing air air

Black rocks and shoreline sand
Still that summer I cannot bare
And I wipe the sand from my arms
Spanish sahara the place that you´d wanna
Leave the horror here
Forget the horror here
forget the horror here
Leave it all down here
It´s future rust and then it´s future dust
Forget the horror here
forget the horror here
Leave it all down here
It´s future rust and then it´s future dust

Now the waves they drag you down
Carry you to broken ground
Though I find you in the sand
Wipe you clean with dirty hands

So god damn this boiling space
Spanish sahara the place that you´d wanna
Leave the horror here
Forget the horror here forget the horror here
Leave it all down here
It´s future rust and then it´s future dust
´m the fury in your head
I´m the fury in your bed
Find More lyrics at
I´m the ghost in the back of your head

Cause I am
I´m the fury in your head
I´m the fury in your bed
I´m the ghost in the back of your head

Cause I am
I´m the fury in your head
I´m the fury in your bed
I´m the ghost in the back of your head
Cause I am

solo

Forget the horror here
forget the horror here
Leave it all down here
It´s future rust and then it´s future dust
I'm the fury in your head
I'm the fury in your bed
I´m the ghost in the back of your head

Cause I am
I'm the fury in your head
I'm the fury in your bed
I´m the ghost in the back of your head

Cause I am
I'm the fury in your head
I'm the fury in your bed
I´m the ghost in the back of your head
Cause I am


26 de outubro de 2013

Opinião | Captive in the Dark, de C.J. Roberts










Título: Captive in the Dark
Série: The Dark Duet (#1) 
Autora: C.J. Roberts
Formato: Ebook
Nº de páginas: 276











Sinopse:

Caleb is a man with a singular interest in revenge. Kidnapped as a young boy and sold into slavery by a power-hungry mobster, he has thought of nothing but vengeance. For twelve years he has immersed himself in the world of pleasure slaves searching for the one man he holds ultimately responsible. Finally, the architect of his suffering has emerged with a new identity, but not a new nature. If Caleb is to get close enough to strike, he must become the very thing he abhors and kidnap a beautiful girl to train her to be all that he once was.

Eighteen-year-old Olivia Ruiz has just woken up in a strange place. Blindfolded and bound, there is only a calm male voice to welcome her. His name is Caleb, though he demands to be called Master. Olivia is young, beautiful, naïve and willful to a fault. She has a dark sensuality that cannot be hidden or denied, though she tries to accomplish both. Although she is frightened by the strong, sadistic, and arrogant man who holds her prisoner, what keeps Olivia awake in the dark is her unwelcome attraction to him.

WARNING: This book contains very disturbing situations, dubious consent, strong language, and graphic violence.



Opinião:

3,9 estrelas

Bem, terminei o livro e ainda não sei bem que nota dou para ele. Porque... apesar de ter gostado, durante uma boa parte do livro eu o achei morno, até gostei, mas não valeria mais que 3,5 estrelas. 

Mas - não sei bem a parte exata - a partir mais ou menos do capítulo 11 e 12 a história melhorou e gostei bem mais. Talvez tenha achado morno a maior parte por não acontecer lá muita coisa, o que partir mais ou menos desses capítulos isso mudou: tiveram acontecimentos, ações, revelações e se pode saber algo mais do Caleb - o que me fez começar a me interessar nele e talvez até gostar. 

Desde o começo, não achei o Caleb um monstro como ele se dizia ser. Veja bem, eu não acho que o que ele fez é certo, ao contrário, mas mesmo fazendo o que fez ele sempre foi - como posso dizer? - cuidadoso, honesto com a Livvie. Em muitos momentos pensei que se tirasse do contexto de sequestro e cativeiro, ele se podia dizer mais como um Dom amante que outra coisa. E depois, quando explica um pouco do que ele passou... Ah, que triste! 

Mesmo achando morno, foi interessante a descrição de como se sentiam, os conflitos mentais, tanto da Livvie quanto do Caleb. Tinha que ter, ou se tornaria algo sem sentido ou vazio os personagens. 

Sobre a Livvie, eu não a achei incrível, mas também não me incomodou - só que tinha muito choro, mas ao mesmo tempo dava para entender, né? Ela foi só ok para mim.

Quero ler o próximo e só gostaria que tivesse mais ação nele, sei lá que acontecesse mais coisas.











Início da Leitura: 15/05/2013
Término: 09/06/2013



25 de outubro de 2013

TAG: Qual é a música?


Gostei dessa TAG e resolvi fazê-la. Vi no blog da Catarina R., o Sonhar de Olhos Abertos, mas foi criada pela Marta, do blog I Only Have. Bom, agora as perguntas:

1. Qual foi a música que te fez chorar/rir?
É difícil eu chorar por causa de música, mas tenho as que me tocam e emocionam muito. E nisso inclui várias do Radiohead, várias do Arcade Fire também. Mas vou a que cito aqui uma que me fez rir muito! 
El Pollito Pio! hahahaha




2. Qual a música que associes à tua infância/adolescência?
Momento confissão: grupo Backstreet Boys. Acho que poderia citar várias deles que marcaram minha infância/começo de adolescência... mas digo uma apenas: "Quit Playing Games (With My Heart)". E deixo o resto da confissão para outro momento, não digo mais nada por agora!


   

3. Uma música que consideres um clássico.
"El dia que me quieras" de Carlos Gardel.



4. Uma música que te faça sentir bem mal a oiças.
Quase qualquer uma do Gogol Bordello. Sempre que ouço um trechinho, já me animo toda! Para não ficar sem nenhuma citada aqui, digo "Start Wearing Purple".





5. Qual foi a música que te fez vibrar no último concerto a que assististe?
Nossa, nem sou de ir a concertos e nem lembro mais da última vez que fui. Será que vale algum que vi online? Se valer, então vai um que tive de assistir no outro dia em que passou, pois o show em si quando estava passando era muito tarde e não aguentei vê-lo todo, mas mesmo assim, a energia e a música me envolvem e emocionam sempre que ouço, que se chama "Wake Up" do Arcade Fire:





6. Qual a música que sabes a letra de cor?
Nossa, de momento não me vem nada a mente. O.O


7. Qual foi a música que te fez vibrar este verão?
O verão está chegando por agora aqui no Brasil, pelo menos na minha cidade, então deixa ver... uma que tenho gostado bastante é a do Miles Kane, "Taking Over".




8. Uma música que gostes de um/a artista/banda que nem podes ver pintado/a de ouro.
É raro, não acontece ou simplesmente não me lembro de gostar de alguma música de algum artista/banda que realmente não gosto. O que acontece mais é ter bandas/artistas que eu não ache nada demais de início, as músicas não me chamem atenção, porém depois de algum tempo - alguns álbuns talvez - esse tal artista/banda lança alguma música que me me chamou atenção e/ou me "pegou" de jeito e a partir desta é que começo a prestar atenção e a gostar e até adorar essa tal banda. Um desses casos foi com a banda Kasabian. Comecei a gostar através de uma música chamada "Where Did All the Love Go?"






9. Uma música que transmita uma mensagem.
"All I Need" de Radiohead. Não sei se a música em si transmita uma mensagem - meu inglês é ruim -, mas ela é linda e o clipe que fizeram para ela esse sim transmite uma mensagem.






10. Qual a música que adoras ouvir ao vivo ou em acústico?
Tenho duas que me lembro assim pensando rápido: "Maybe Tomorrow" e "In A Moment" do Stereophonics. Adoro as duas versões!



 
          


11. Qual a música que associes a um livro/filme?
A que me passa pela mente agora é uma do The Hunger Games, não sei o nome exatamente, mas é aquela que a Rue assobia:




12. Uma música que associes reacções (vontade de saltar;de dançar; correr; histerismo;cortar os pulsos;dormir; nostalgia; etc…)
Acho que o mesmo da 4ª questão: Gogol Bordello. Mesmo que seja só para bater o pé, é o que as músicas dessa banda me provocam. Então, mais uma para não ficar em branco: "Not A Crime".




13. Uma música que adores a cover.
Devo ter algumas que gosto, embora não me lembre no momento. Apenas me veio na mente a de "Thunder On The Mountain" de Wanda Jackson com o Jack White (ouça e me diga: tem como não se animar e mexer o esqueleto?):





14. Uma música que ficaste surpresa/o por saber quem a canta.
Uma recente (para mim), que ainda nem sei se gosto ou não, mas que fiquei um tanto surpresa é a "Caricia de mi Alma" de Maya Mishalska. Explico: assisto uma novela chamada "Cuidado com o Anjo" - que é mexicana, e se chama Cuidado com El Ángel - na qual essa que canta atua também. Acho que só a tinha visto em alguma novela ou outra e não sabia que cantava - vi em algum lugar a lista das músicas dessa novela, porém não sabia que era essa e nem quando "entrava" na história.



15.Uma música que te faça lembrar alguém importante para ti.
"Dakota", Stereophonics.




16. Qual a música que todos gostam e tens um ódiozinho de estimação?
Ih, essa não sei, pois tem várias que muitos - talvez milhares - amem e eu não. Mas para não ficar sem nenhuma resposta, vai "Baby" do Justin Bieber - é assim que se chama? Sei lá, qualquer coisa, é só colocar outro nome de música dele que também serve.


17. Uma música que gostasses de ouvir num momento importante da tua vida.
Tenho algumas, mas para citar uma, "Karma Police" do Radiohead. 





18. Uma música que gostes sem ser em inglês.
Humm... "Esa Noche" do Cafe Tacuba (espanhol).






19. Qual foi a última música que ouviste?
"Seen It All" de Jake Bugg.





20. Diz uma das tuas músicas favoritas.
Tenho tantas! Sem pensar muito, cito "Comptine D' un Autre Ete" de  Yann Tiersen.


  




Quem ver e quiser responder, sinta-se convidado(a) e fique a vontade! 




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...